Home Notícias Fale Conosco
Notícia
03 de Abril de 2012

ÁRBITROS DE MAIOR GRADUAÇÃO DISCUTEM SOBRE REGRAS

     O encontro anual de árbitros de 1º (ikkyu) e 2º (nikyu) graus aconteceu no dia 4 de março, na sala de reuniões da União dos Clubes de Gateball do Brasil sita à Praça Barão de Japurá, 166, Jabaquara, onde se reuniram 47 árbitros.
     A sessão teve início às 9 horas com a declaração de abertura do vice-presidente Kazushi Sugahara seguida pela saudação do presidente Seizi Oga que enalteceu a importância desta reunião para esclarecimento de questões polêmicas relacionadas às regras e, sobretudo, para preparação de árbitros graduados que desempenham também a função de orientador nas suas respectivas regionais.  
     No Japão, por exemplo, a função de orientador é exercida por indivíduos devidamente credenciados mediante aprovação nos exames. Entretanto, no Brasil, não há ainda a função específica de orientador.
     Como coordenador, o diretor de arbitragem Hatiro Honda conduziu a reunião dando enfoque, basicamente, a três itens para esclarecimento e discussão: atribuições de um árbitro como responsável pelo campo, durante as competições; atribuições do técnico ou capitão de uma equipe;  trajes utilizados pelos jogadores em competições.
     1) O responsável pelo campo, que é geralmente um árbitro graduado, tem como atribuição a) confirmar a presença dos árbitros da próxima partida, no local de concentração dos jogadores; b) supervisionar a cerimônia de confirmação dos jogadores e inspeção de uniformes e instrumentos, dando apoio necessário aos árbitros; c) fazer respeitar as regras e as normas convencionais do campeonato; d) solucionar os problemas que eventualmente surjam, de forma racional, correta e imparcial.
     2) O técnico (ou capitão) deve promover a união da equipe e zelar pelo bom comportamento de seus jogadores. É também sua atribuição, comunicar a entrada do jogador substituto, nomear o capitão e comunicar a falta de jogador. Além disso, quando necessário, pode questionar a respeito do julgamento feito pelo árbitro, mas tão somente no ato da ocorrência da dúvida. Porém, o tempo consumido para o questionamento não é considerado referee time.  Ademais, obtida a resposta do árbitro, não lhe é permitida a repetição do questionamento.
     3) Quanto aos trajes utilizados pelos jogadores de uma equipe, devem ser uniformes na cor , modelo  e formato, com exceção de alguns detalhes que são considerados toleráveis, por exemplo: diferença no comprimento da manga de camisa;  diferença na indumentária utilizada sob uniforme;  variação no tamanho de letras que identificam o jogador ou ausência destas nos uniformes; diferença na cor e no modelo de botão da camisa;  diferença entre calça e saia, quando os homens usam calças e as mulheres saias, desde que as calças assim como as saias estejam uniformizadas, utilizando a mesma cor. Os chapéus devem ser uniformizados, na cor, modelo e formato. A utilização do chapéu deve ser por todos ou por ninguém numa equipe.  Tendo uniformidade na cor dos chapéus, pequena diferença entre o formato masculino e o feminino é tolerável.


« Voltar
 
UCGB - União dos Clubes de Gateball do Brasil | Todos os direitos reservados