Home Notícias Fale Conosco
Notícia
28 de Outubro de 2011

TIRE DÚVIDAS SOBRE NOVAS REGRAS DE GATEBALL

     As regras de gateball são revistas periodicamente pelo Comitê Internacional da World Gateball Union, sediado em Tóquio.  Todas as sugestões enviadas por diversos países são analisadas, discutidas e selecionadas pelo Comitê e, posteriomente, submetidas à diretoria da WGU composta de membros representantes das entidades filiadas.   As alterações aprovadas pela diretoria são divulgadas a cada quatro anos através destas entidades filiadas, entre as quais a União dos Clubes de GB do Brasil.
     As alterações de regras tendem a gerar discussões, pois cada pessoa pensa e raciocina de forma diferente.  A maioria acaba concordando e se adaptando às novas regras, mas há sempre alguns que discordam e resistem a aceitar as novas regras.
     Dentre as alterações aprovadas em outubro de 2010, por ocasião do Campeonato Mundial de Gateball de Xangai, algumas chegaram a chocar os gatebolistas,  como por exemplo a extinção de dois lances sequenciais após concretização de double touch, assim como de três lances seguindo triple touch. No entanto, essa alteração é fácil de entender e de assimilar, diferente de  outras do tipo anulação de movimentos de bolas, que estão em contato com gate ou goal pole, provocados indiretamente por uma bola ou próprio taco, tendo como elemento intermediário o gate ou o goal pole, por mecanismo sanduíche. Este mecanismo aparentemente complicado está relacionado exclusivamente com a situação em que a bola está em contato com  o gate ou o goal pole e nada tem a ver com a bola que está próximo ao gate ou ao goal pole.
    Outra questão que requer bom raciocínio é a da passagem de uma bola pelo segundo gate, num único lance, partindo da área de start, isto é após passar pelo gate 1, tocando no pé direito deste gate, passar também pelo gate 2.  Concretiza-se, neste caso, a passagem pelo gate 1, mas não vale a passagem pelo gate 2, pois pela regra, a passagem pelo gate 1 só se efetiva quando a bola estaciona.  Ademais, não se concretiza a passagem pelo gate 2 sem antes concretizar a passagem pelo gate 1.   E se, na mesma circunstância acima, a bola que passou pelo gate 1 estacionar justamente sobre a linha de gate do gate 2, basta o batedor dar tacada no jikyuu, a que tem direito pela passagem pelo gate 1, e fazer atravessar por completo a linha de gate para  concretizar a sua passagem?  A resposta é não!   Isto porque o artigo 13, parágrafo 1, das Regras Oficiais de Gateball diz o seguinte:  a passagem de bola pelo gate é concretizada quando a bola se movimenta do lado anterior (front side) de gate para o lado posterior (back side), ultrapassando a linha de gate , em sua primeira vez, na sequência numérica de gates nº 1, nº 2 e nº 3.  Ora, no exemplo acima, a bola que atingiu a linha de gate e até o momento de estacionar (sobre a linha de gate) não havia concretizado sua passagem pelo gate 1 (daí a razão da nulidade de sua passagem pelo gate 2 num único lance).  Portanto, a bola que estacionou sobre a linha de gate,  por lance inicial,  para concretizar sua passagem pelo gate 2 é preciso voltar para o lado anterior (front side) do gate e passar para o lado posterior (back side), ultrapassando por completo a linha de gate.


« Voltar
 
UCGB - União dos Clubes de Gateball do Brasil | Todos os direitos reservados