Home Notícias Fale Conosco
Notícia
04 de Julho de 2011

HÁ DÚVIDAS COM RELAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES DE REGRAS DE GATEBALL?

     Diversas alterações foram introduzidas nas regras de gateball, porém somente algumas provocaram grande impacto entre os praticantes. Então, veja a seguir as alterações mais significativas.
1)  Supressão de double touch e triple touch, com o direito a dois lances ou três lances sequenciais, respectivamente. Mantêm-se, entretanto, o tsuuka touch e o touch  tsuuka, com direito a dois lances consecutivos;  a concretização de touch-tsuuka-touch não dá ao batedor o direito a três lances, mas sim apenas a dois lances.
2)  Ficam sem efeito todos os deslocamentos de bolas provocados indiretamente por mecanismo sanduíche, tendo como elemento intercalado o gate ou o goal pole.
     a) É inválido o deslocamento de bola, que está em contato com o gate ou o goal pole,  causado por toque do batedor ou do seu taco neste gate ou goal pole.
     b) É inválido o deslocamento de bola, que está em contato com o gate ou o goal pole, causado por toque de outra bola (jikyuu ou takyuu) neste gate ou goal pole.
         Se, porém, outra bola tocar: (1) diretamente a bola em contato com o gate (ou o goal pole) ou (2) simultaneamente a bola e o gate (ou goal pole), o deslocamento passa a ser  válido.
     c) Em todos os deslocamentos inválidos, a bola deslocada deve voltar à sua posição anterior (em contato com o gate ou o goal pole).
     d) Se um jikyuu em outball lançado pelo batedor, ao tocar no gate, provocar deslocamento indireto (por mecanismo sanduíche) de um takyuu que estava em contato com o gate.  E, na hipótese de o jikyuu, após tocar no gate, deslocar-se e estacionar no lugar onde estava o takyuu deslocado, como o takyuu deve retornar ao local onde estava,  o jikyuu e o takyuu entrarão em contato.   Isto caracteriza falta  (hansoku) e ele (jikyuu) torna-se novamente outball.
     e) Se um jikyuu ativo lançado pelo batedor, ao tocar no gate,  provocar deslocamento indireto (por mecanismo sanduíche) de um takyuu que estava em contato com o gate.  E, na hipótese de o jikyuu, após bater no gate, deslocar-se e estacionar no lugar onde estava o takyuu deslocado, como o takyuu  deve retornar ao local onde estava, o jikyuu e o takyuu entrarão em contato. Este contato, porém, não é reconhecido como touch.
3)  Não vale a passagem pelo gate (2 ou 3) da bola estacionada sobre a linha de gate procedente de: a) outball lançado pelo batedor tanto do lado posterior  quanto do lado frontal;  
     b) bola colocada com a mão para o set durante o spark,  mas não concretizado o lance de spark  por  ocorrência de hansoku.
     c) a bola estacionada nestas condições, na rodada seguinte, deve voltar para o lado frontal do gate e, em seguida, passar  pelo gate, ultrapassando completamente a linha de gate.
4)  Qualquer deslocamento de bola ocorrido sob o pé, durante o lance de spark, independente de exercer influência favorável ou não no lance seguinte de tsuuka, agari ou touch, deve ser corrigido pelo árbitro que a recoloca na posição anterior.
5)  Fica extinto o termo tyokkingai.  Diz-se agora ?medidas de outball?.
6)  Na substituição de jogador, a comunicação deve ser feita pelo técnico, ou na ausência deste, pelo capitão.
     a)   A comunicação de substituição deve ser recebida somente pelo anotador.
     b) O jogador substituto que não se apresentar devidamente com o número de identificação (zekken) não terá sua substituição reconhecida.
     c) Quando a comunicação de substituição é recebida após o jogador, a ser substituído, efetuar o lance como batedor, porém antes de terminar o seu direito de batedor,  não será reconhecida a substituição.
7)  Dentre várias atribuições dos árbitros, destacam-se:
     a)  A utilização de moeda para o sorteio de equipes precedente (vermelha) e sucessora (branca) ?  árbitro principal.
     b) Advertência a técnico e jogadores que não estejam obedecendo às regras básicas de conduta ?  árbitros principal, auxiliar e anotador, conforme Artigo 4, parágrafo 4 do livro Regras oficiais de Gateball e Guia para árbitros.
     c)  Dar suporte e alertar os árbitros principal e auxiliar, no que se refere a interpretação, declaração,  chamada e medidas tomadas ?  anotador.    
     d) Decidir, declarar e tomar medidas com relação a outball ? anotador.
     e) Portar marcador (do local de bolas momentaneamente deslocadas) e régua de 7,5 cm x 10 cm ? árbitros principal, auxiliar e anotador.


« Voltar
 
UCGB - União dos Clubes de Gateball do Brasil | Todos os direitos reservados