Home Notícias Fale Conosco
Notícia
02 de Abril de 2009

NORMA CONVENCIONAL relativa ao procedimento de spark

1) Ao fazer spark de um takyuu para torná-lo outball, o batedor precisa, obrigatoriamente, fazer a indicação da direção de seu arremesso.  Uma vez feita a indicação da direção, não é permitida a sua alteração. Serão considerados infrações:
a) se o batedor executar a tacada de spark, sem fazer a indicação da direção de arremesso, de forma clara e objetiva;
b) se o batedor, por sua própria decisão ou por ordem do capitão, fizer alteração da direção indicada.
2) As medidas a serem tomadas pelo juiz no caso de infrações citadas são:
2.1. declarar hansoku no momento em que o batedor executar a tacada de spark, após o set;
2.2. levar o jikyuu para tyokkingai e recolocar o takyuu na posição do set.
Esclarecimentos
a) Mesmo que o capitão tenha feito indicação da direção de arremesso, o que prevalece é a indicação feita pelo batedor.
b) Se o batedor for penalizado por time over (tempo ultrapassado), as medidas, com relação às bolas, devem ser tomadas obedecendo as regras estabelecidas no Artigo 9, parágrafo 2.
Comentário
A alteração da direção de arremesso não é permitida para não colocar em  risco a segurança de pessoas e também para evitar fadiga de árbitros por correria inútil.
Esta Norma Convencional substitui a Norma divulgada pela UCGB,  em  abril de 2008, e entrará em vigor a partir de abril de 2009.                                                      
União dos Clubes de Gateball do Brasil


« Voltar
 
UCGB - União dos Clubes de Gateball do Brasil | Todos os direitos reservados